Notícias  > Início


07-11-2017 Dia dos Pobres na PPCJ


O repto do Papa para a celebração do Dia Mundial dos Pobres, a 19 de novembro, foi recebido de formas distintas nas várias obras e comunidades da Companhia. Aqui fica um apanhado das iniciativas que vão decorrer ao longo da semana:

Escolas
As três escolas dos jesuítas em Portugal vão unir-se no dia 17 para um minuto de silêncio em favor das pessoas que vivem em situação de pobreza. Após esta homenagem, toda a comunidade educativa rezará um Pai nosso. Ao longo da semana, serão utilizadas as ferramentas gerais criadas, como o vídeo sobre vidas transformadas, o passo-a-rezar especial, bem como a oração dos fiéis específica nas celebrações.
Além desta iniciativa conjunta, os colégios têm várias atividades com os alunos, no âmbito da pastoral, das aulas de educação moral e religiosa e não só. O Colégio das Caldinhas, em Santo Tirso, desafiará as turmas a decorar uma cadeira, para assinalar este dia. Depois, as várias turmas colocarão a cadeira num espaço visível da escola e sempre que abordarem temáticas relacionadas com desigualdades ou fragilidades, podem ir buscar a cadeira. Esta é uma forma de refletir sobre a interligação de vários temas.
Em Lisboa, no Colégio São João de Brito, a recepção aos alunos no dia 17 será marcado por cenários e números que retratam a pobreza no mundo. A oração da manhã dos alunos será dedicada a este tema, e a oração do GRAPA, para todos os alunos que desejarem, também será sobre a pobreza. Ao almoço, os individuais do refeitório também terão imagens e dados estatísticos relativos à distribuição de alimentos no mundo
Na Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais de Braga, o dia será assinalado com a recolha de bens alimentares e roupa, que será depois doada a instituições locais. 
 
Paróquias e comunidades
Na Paróquia de São Francisco Xavier de Caparica, todos serão convidados para a eucaristia e para o almoço partilhado. Sendo uma paróquia inserida num bairro social, muitos dos que acorrerão à igreja viverão em situação de fragilidade. 
Na catequese da Paróquia de São Pedro, da Covilhã, o dia 18 será dedicado à pobreza, e as crianças usarão os materiais de sensibilização preparados pela Fundação Gonçalo da Silveira. 
O foco da intervenção na Paróquia do Lumiar será uma recolha de donativos e bens para distribuir pelos mais carenciadas. Esta recolha decorrerá durante a semana e o dia 19, sendo que a comunidade será sensibilizada para a causa na semana anterior.
No Algarve, o programa é diversificado e incluirá momentos de oração, testemunho e partilha e convívio. As comemorações do dia iniciam no domingo dia 12, com uma oração pelas vocações. Ao longo da semana, haverá testemunhos e sessões denominadas “Porque me fiz samaritano?”. No fim de semana, segue-se a celebração da missa, o convívio e o almoço partilhado. Nesse dia 19 haverá apenas uma missa na Paróquia, uma missa campal em Alcalar, para juntar toda a comunidade.
A Comunidade Inaciana de Évora também tem um programa detalhada para abordar esta temática, e que começa logo no dia 12, com um São Martinho Solidário. No dia 15, haverá uma conversa com a intervenção de três pessoas ligadas à intervenção social e, no dia seguinte, a exibição de um filme. Tudo no Casarão, a nova casa dos jesuítas em Évora, dirigida especialmente aos estudantes universitários. O programa da semana culmina com a missa na Igreja do Espírito Santo, no domingo às 19h15.
 
Outras obras
Os Leigos para o Desenvolvimento lançarão o seu novo livro infantil, "A força de uma formiga" da escritora Rosário Alçada Araújo e ilustrações de Francisco Rodrigues. Será no dia 15 de novembro - Centro Social da Musgueira.
A Fundação Gonçalo da Silveira preparou quatro propostas para uma atividade pedagógica, simples e fáceis de colocar em prática, para uso tanto em contextos de educação formal como em sessões informais, para ajudar a promover a reflexão, o espírito crítico e uma cidadania global ativa face às causas estruturais da pobreza.
O Serviço Jesuíta ao Refugiado (JRS Portugal) terá uma iniciativa no dia 14, no Centro de Acolhimento Pedro Arrupe. Haverá um almoço com a leitura de um texto sobre o que nos pede o Papa Francisco, o relato pessoal de um imigrante e refugiado, seguindo-se um almoço sírio. Da parte da tarde, haverá uma apresentação sobre São Martinho.
 
A Revista Brotéria dedicará a sua edição de novembro a esta temática. Contará com artigos de Manuela Silva – antiga Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz; Isabel Jonet, Presidente do Banco Alimentar; Carlos Farinha Rodrigues, Sociólogo e Rui Marques, presidente do Instituto António Vieira e coordenador da Plataforma de Apoio aos Refugiados. 
 

  < Anterior